O q vc tá procurando? Digite aqui

28 de agosto de 2011

...E ENTÃO VOCÊ SE APAIXONOU...



De repente você acorda com uma sensação de que os dias já não são mais os mesmos, não por causa do óbvio de não serem os mesmos, mas porque uma segunda pessoinha começa a temperá-los com sua presença. De repente você acorda cantando, rindo para as paredes, sorrindo para o espelho, ou talvez tenha sonhado com essa criatura maravilhosa. De repente você escreveu um poema pra essa pessoa, ou quem sabe nunca escreveu um poema na vida e milagrosamente você se torna o poeta mais inspirado do universo. Sua inspiração está a todo vapor, você está à flor da pele, frágil, com o coração encolhido e ao mesmo tempo agitado, não para quieto dentro do seu peito, é capaz de dar bom dia, boa tarde e boa noite para todos os seres vivos que encontra no caminho da escola, do trabalho, da faculdade. Coisas desesperadoras acontecem, como por exemplo aquela música romântica que você odeia mas que começa a fazer sentido... Não sei se lhe dou os parabéns ou se lamento, mas VOCÊ ESTÁ APAIXONADO. 
Estar apaixonado implica numa série de sintomas, comportamentos, pensamentos, atitudes, que tanto podem ser as mais doces e bem-intencionadas quanto, em alguns casos, loucas e insensatas. E eu digo "loucas" no mau sentido mesmo. Sabe-se que paixão não é amor, apesar de que um relacionamento AMOROSO precisa de paixão entre seus ingredientes. Entretanto, apesar de encararmos a paixão com esse tom crítico e racional, seria hipocrisia não admitir que, até certo limite, apaixonar-se é como tirar os pés do chão para se permitir uma pequena aventura desvairada da lógica do dia-a-dia, e não parece haver nada de errado com isso. Há um clima boboca que permeia o ar, que faz com que você se desestruture um pouco emocionalmente, já que muitas vezes opta por não se interessar por ninguém (culpa de desilusões passadas, talvez). A paixão tem esse poder de nos pegar desprevenidos quando muitas vezes lutamos contra ela. No entanto, creio ser uma luta desleal, porque sejamos sinceros: no fundo do nosso ser, queremos nos apaixonar, ter algum sentimento romântico sendo gerado em nós, mesmo que tenhamos sofrido inúmeras vezes e juramos que nunca mais seremos atingidos por essa "praga". Mas quando nos deparamos com ela, a paixão, surgida de algum momento improvável, a danada consegue parecer mais atraente do que na vez anterior em que apareceu. E na doçura das ilusões primárias que ela provoca, nos faz irracionalmente agir em nome de uma nova tentativa, de uma nova chance em que possamos mergulhar na possibilidade de preenchermos a lacuna da área afetiva que todos ansiamos. 
Não estou prestando homenagem à paixão neste texto, porque tenho noção de que ela é como uma fera de corpo vigoroso que, se nos descuidarmos, pode se voltar contra nós. Mas se tentarmos manter um pouco de serenidade, paciência e razão (a inimiga mortal da paixão), podemos desfrutar de sua companhia sem metermos os pés pelas mãos. Ou não, né? Afinal, paixão também pode ser traiçoeira. Tome cuidado. E se você está apaixonado, aproveite esse momento com moderação, não crie um personagem de si ou da pessoa que você gosta. Permita-se um pouquinho de loucura, mas tudo com dose sadia. Acima de tudo, busque amor. E que Deus nos proteja, meu caro!!

6 comentários:

Aalsmeer disse...

Revero...

Maressa Reis disse...

Uau!Doooorei. A paixão é realmente um sentimento intenso, louco e perigoso, mas...como vc mesmo disse um pouquinho disso não faz mal, claro, desde que seja apreciado com moderação.

mari disse...

bem daí!
hehe
Gostei do texto ein.. ^^
:*

Amanteli disse...

se apaixonar é gostoso, mesmo q traiçoeiro.

Anônimo disse...

se apaixonar é bom até o momento em que ainda temos o controle nas mãos. quando temos o controle ela é saudável, refinada, boba, intensa também, de certa forma louca, a sensação de friozinho na barriga é a melhor e as expectativas que a paixão gera são gostosas. quando temos o controle e não somos mais correspondidos, não somos tão afetados. podemos aproveitar os bons momentos e suas delícias e gostar do sabor das lembranças, da não dependência dos sentimentos e o melhor, NÃO SENTIMOS DOR.

será que você sabe que sou eu? acho que já tinha falado por alto a minha teoria da paixão e do controle. bjo

Mensagem Efêmera disse...

Eu gosto de me apaixonar.
Ainda que seja pela mesma pessoa, todos os dias.