O q vc tá procurando? Digite aqui

12 de agosto de 2011

crônica: O VÍCIO


A mãe procurou o psicólogo para lhe falar sobre o filho problemático, antes de marcar de fato a consulta:
- Então, doutor, o senhor precisa me ajudar. Meu filho de 15 anos é viciado em leitura. Toda vez que eu chego do trabalho, ele está lendo algo diferente, com os olhos fixos e como se estivesse num universo paralelo.
-Calma, minha senhora- pede o pacientíssimo psicólogo, acostumado às mais diversas estranhezas comportamentais.-Conte-me exatamente quando e como isso começou.
A mãe começou a ficar aflita e trêmula só de lembrar, mas narrou ao médico:
- Começou ainda criança, ele tinha 3 anos... Começou com coisinha besta, tipo cartilha de ABC, depois passou para as revistinhas da Mônica, periódicos das Testemunhas de Jeová... Quando tava com dez anos, comprou com sua primeira mesada uns livros de poesia da Cecília Meirelles e "Iracema", do José de Alencar.
- Humm... É realmente estranhíssimo... É um caso deveras de cair o queixo. Quem em sã consciência gastaria dinheiro da primeira mesada com José de Alencar?? Conte-me mais, por favor.
- Atualmente, ando mais preocupada... Ontem vi no quarto dele uns livros de um tal de Dostoievski, Victor Hugo, Oscar Wilde... Tenho tentado de tudo para não passar vergonha quando as visitas chegam em casa e o encontram no sofá, estiradão, com uma revista científica nas mãos. O senhor acredita que um dia desses eu entrei na internet e acessei um site pornô na frente dele, pra ver se ele faz algo normal pra idade?
- E ele?
- Bom, eu falei: "Uau, Maurício, olha só as coxas dessa morena, que safada", aí ele chegou perto e começou a ler todos os anúncios do site, tudo que tinha letras ele tava olhando e lendo... Onde havia bundas, peitos e loiraças belzebu, necas!!
- Seu filho pode ser gay, a senhora já pensou nisso? Geralmente gays são viciados em leitura.
- O senhor acha?? Creio que não, o Maurício tem uma namorada, a Janinha... Mas quando eles saem, só vão à livraria ou à banca de revistas... Sempre que eu os vejo juntos, estão debatendo Literatura, e quase sempre termina em briga, pois o Maurício se irrita muito fácil quando perde um debate...
- Entendo. É um sintoma clássico de alguém viciado, a irritabilidade fácil. Seu filho não usa Orkut, Facebook, MSN?
- Ele usa, doutor... Mas ninguém quer conversar com ele, ninguém entende o que ele diz, é intelectual demais... O senhor entende a que ponto meu Maurício chegou? Está até perdendo a vida social...
- Minha senhora, isso é muito preocupante. Na internet todo mundo é amigo. Se até a vida social virtual ele está perdendo, seu filho precisa de tratamento urgente! 
A mãe, coitada, estava começando a expor as lágrimas de sua dor e vergonha. Implorou ao médico:
- Me diga o que fazer, doutor!
- Sem dúvida é uma situação seríssima, se pelo menos seu filho fosse viciado em videogames ou pornografia... Mas acho que tenho o remédio certo. Só um momentinho.
O psicólogo se dirigiu aos fundos de seu consultório, voltou carregando três livros, sendo um deles um tremendo catatau de umas 600 páginas. A mãe, imediatamente, indagou-lhe:
- Pra quê esses livros, doutor?
- Esses livros são todos sobre vício em leitura. Leve-os, mande seu filho lê-los e traga o menino aqui na semana que vem, para se consultar.
- Como esses livros podem ajudar?
- Não sei, mas é a única coisa que eu tenho no momento. E nunca tive paciência de ler. Minha expectativa é que seu filho os leia e depois me conte resumidamente o que tem neles. Aí estarei bem mais preparado para lidar com doidos varridos dessa espécie. Tenha um ótimo dia, dona...?
-Carmita.
-Dona Carmita! Nos vemos na próxima semana, ok? Tudo de bom e vá com Deus!
O médico acompanhou a mulher até à porta. Ela saiu de boca aberta do consultório, toda desajeitada carregando aqueles livros pesados, sentindo-se abobalhada, assim como provavelmente ficava Maurício diante de um exuberante material escrito. 

4 comentários:

Ela disse...

rsrsrs... Muito bom!!! Ai,com mais viciados desses o mundo seria muito melhor! Parabéns!

Mensagem Efêmera disse...

HUAHAUHAUA
Muito bom, Marvin! Adorei. Tu és sempre tão moderno... Me encantei com a crônica.

Babi Leão disse...

Como seus textos prendem minha atenção!!!! Me vi nesse menino aí! Quando eu estava na 5ª série (sei lá eu quantos anos... talvez 10) li "O diário de Anne Frank" inteirinho! Minha professora chamou minha mãe na mesma hora que soube e falou "até hoje eu não consegui ler esse livro pq é forte demais, é melhor vc tomar cuidado com a sua filha!" kkkkkk
Me divirto com suas crônicas, me trazem boas lembranças!
Abração!

Genny LiMo disse...

Estou no mesmo barco que o Mauricio.

;)