O q vc tá procurando? Digite aqui

13 de fevereiro de 2012

O REAL "CINEMA" DE TERROR --- entenda o que são os perturbadores Vídeos Snuff



Até que ponto pode ir a perversidade humana? Existe um limite para aquilo que identificamos como mal? O que é o mal? Sim, este texto começa fazendo questionamentos que, para uns, pode ser trabalhoso dar uma resposta direta. Para outros, nem tanto, talvez um mínimo comentário de concordância com o fato de eu estar chamando para esta reflexão.
Certa vez eu abordei neste blog a existência do livro “Crimes satânicos”. Este é um material muito interessante para quem gosta de ler e descobrir um pouco do que rola nos “bastidores da maldade do coração humano”. Um dos pontos mais atrativos na referida obra são os snuff movies ou vídeos snuff. Até ler sobre eles justamente no livro, eu mal fazia ideia de que existiam.
Numa definição ligeira, os vídeos snuff são vídeos amadores gravados com fins comerciais, contendo cenas reais dos mais diversos tipo de violência, sobretudo sexuais, inclusive até com mortes (algumas em rituais diabólicos). E pode ficar mais pasmado: esse mercado, além de ter público considerável, movimenta muito dinheiro. A maior parte dos consumidores desse tipo de mídia deplorável e revoltante é de pessoas com alto poder aquisitivo, cujas mentes doentias sentem prazer em ver homens, mulheres e crianças sendo torturadas psicológica e sexualmente, pagando até coisa de milhões por isso. A maioria desses consumidores é composta de gente com cargos altos em empresas, setores públicos, política. E fazem parte dos bastidores podres do mundo.  Indicadores apontam para a presença de redes organizadas que promovem e produzem tais filmes, incluindo seitas satânicas, com clientes fieis.
Apesar de poucas pessoas saberem da existência desse mercado sinistro, ele não é algo recente. O primeiro vídeo snuff que veio a público foi descoberto na década de 1970. O tema mais explorado nesses vídeos é a pornografia em algum grau, mas sempre um grau que precise envolver algum ato violento, como estupro, pedofilia, mutilações e, conforme já mencionado, morte. O fato de um vídeo snuff invariavelmente apresentar sexo não significa que todo vídeo com sexo que circule clandestinamente por aí seja um snuff movie (aquele vídeo da sua amiga de escola, faculdade ou trabalho, gravado com o namorado dela e que “acidentalmente” caiu nos celulares e PCs de todo mundo, não é um snuff). Isso vale também para vídeos que apresentam execuções de pessoas, como vídeos islâmicos que ficaram populares tempos atrás, em que fundamentalistas decapitavam soldados americanos ou ex-islâmicos convertidos ao cristianismo considerados traidores da fé. Esse tipo de vídeo não se define como um snuff.  Os vídeos snuff conseguem ser piores do que isso, apesar de eu nunca ter visto um, mas pelos relatos chocantes que revelam suas características. Pergunto-me se o pior nesse mercado é haver quem faça um trabalho como esse ou haver quem compre. Você vê a gravidade? Não se trata apenas de matar pessoas diante de câmeras, mas também de lucrar (e muito) com tamanha desgraça!!!
O tema voltou à tona depois da censura poderosa ao filme A Serbian Film- Terror sem limites, produção sérvia do cineasta Srdjan Spasojevic (pois é, também não sei pronunciar...). O filme foi proibido em vários países, incluindo Brasil (depois de certa pressão das autoridades responsáveis, já que nem todas as cidades brasileiras haviam censurado a possível exibição), e teve vários cortes em outros, como na Inglaterra (49 cortes). A história narra a decadência de um ator pornô sérvio que, para tentar melhorar a vida financeiramente, topa participar de produções pornográficas suspeitas. E é então que o filme de Spasojevic toma um rumo cinematográfico suportável apenas para quem tem estômago forte e nervos de aço, pois as encenações são cruas e querem a todo custo convencer-nos de seu propósito: chocar. O personagem principal do filme acaba envolvido em produções de vídeos snuff, com toda sorte de violências sexuais, mentais e físicas, um festival horrendo de sangue e torturas. O cineasta defende-se dando argumentos de que era uma forma de se manifestar sobre o que sentia com relação a todos os eventos lamentáveis de seu país natal nos últimos 20 anos, ao mesmo tempo que quis nos estarrecer ao revelar as mazelas das sociedades ao redor do mundo. Ele acrescenta que nunca teve a intenção de fazer o filme para fins de entretenimento. Enfim, A Serbian Film, a meu ver, não é nada recomendável. Consegue arrancar de nós as piores reações possíveis, apesar de ironicamente atingir um de seus alvos: fazer-nos refletir e atentar para o que o ser humano é capaz de fazer.
Meu intuito neste post não foi chocar você, apesar de saber que seria uma consequência. Que essa consequência seja um despertar. Sei também que muitos tentarão ir atrás do tal filme sérvio, buscarão no Google algum snuff movie. A curiosidade é natural. Não o culpo se quiser assistir a qualquer coisa mencionada neste texto. Entretanto, analise-se enquanto estiver em contato com algo dessa natureza. Analise qual seu grau de tolerância com a maldade, com a violência, com aquilo que se diz ser da natureza humana e que muitos usam como argumento para sua aparente neutralidade diante dessas situações escandalosas e revoltantes. Sou cristão e defendo o amor, defendo a servidão a Cristo e creio na Bíblia. Para mim, a origem de todo esse negrume em nossas almas, capaz de nos fazer vilões de filmes crueis da vida, é a maneira como adoramos a nós mesmos, nosso egoísmo, nosso prazer acima de tudo. Enquanto formos adoradores da ganância e do eu, mais estaremos propensos a espezinhar as vidas daqueles que merecem ser felizes tanto quanto nós.  Meu coração estremece com verdades nuas e cruas como as mencionadas aqui. Que Deus nos abençoe!

4 comentários:

Anônimo disse...

Recentemente peguei esse filme com um amigo meu e não sabia que existia uma classificação específica e sequer o assisti ainda, mas agora irei. Fico grata pelo post porque, assim, posso analisar o filme de uma forma diferente e menos chocante (talvez), porque sem saber do que se tratava, no mínimo, eu iria ficar horrorizada.
Mesmo sem ver o filme, imagino o quão doentio pode ser uma pessoa que gasta seu tempo e dinheiro com perversões degradantes, pois se fossem só vídeos de sexo, seria banal, mas quando há morte, aí já é outra coisa...
Vou dar uma olhada no filme, daí, posso compartilhar de uma forma mais concreta.


Naty.

yurgel disse...

ainda prefiro os snuff ao modelo econômico e à bancarrota que se anuncia farta e cara por esse mundo! nossa moeda (de troca ou não) é q é um "terror sem limites"!!! rs

Amanteli disse...

tem gosto pra tudo.

TiagoQuingosta disse...

Putz cara. Assisti ao filme aqui sozinho e fiquei traumatizado... É nojento, a serbian film, muita violência contra mulher, pedofilia, etc. Pior que os 120 de sodoma e centopeia humana. Nos perguntamos onde isso vai parar... Piora quando é real.